quarta-feira, 3 de abril de 2019

Teto da Câmara não aguenta o orçamento de 55 milhões e desaba; veja na coluna Quebra-queixo


Muitas reformas, orçamento grande, funcionalismo pequeno e estrutura de quinta. A Câmara Municipal de Camaçari segue sem muito brio para a população camaçariense. 

Pouca atuação dos vereadores, menos até do que se podia esperar em ano pré-eleitoral, pois as movimentações costumam ser mais incisivas nesta época. Detentora de uma renda de R$ 55 milhões, aprovada pela Lei Orçamentária Anual de 2019 - LOA, para a gestão do presidente Jorge Curvelo, a casa legislativa parece não ter condições ao menos de manter em pé sua estrutura, o que dirá  de benefícios aos munícipes.  

Na última segunda-feira (1), o teto da Câmara desabou. Ainda bem que não havia ninguém no plenário, pois então o estrago extrapolaria a maldade com a população. 

Investigação

Recentemente o promotor de justiça Everaldo Yunes, acionou o Ministério Público para o gasto excessivo com tickets de combustíveis na Câmara. De acordo com a acusação, as gestões teriam usado em um mês, combustível suficiente para dar 6 voltas ao mundo e que juntas somavam mais de R$ 3,5 milhões.  Atualmente o orçamento médio de 4,5 milhões por mês, parecem ser suficientes apenas para manter seus 21 vereadores e funcionários, já que o resto vai de mal a pior. 

Coluna: Quebra-queixo - Jornal Camaçari