Com informações do VN 



O governador Rui Costa (PT) garantiu, em coletiva de imprensa realizada no dia 3 de dezembro, que o pacote de austeridade enviado pelo Governo para a Assembleia Legislativa tinha o objetivo de reduzir custos da máquina pública estadual.

Entretanto, um levantamento feito pelo jornal Correio da Bahia mostrou que a criação de 1.600 cargos, ante a extinção de 1.800, na verdade vai provocar um aumento de custos de cerca de R$ 9 milhões ao ano para o cofre baiano.

Técnicos de finanças analisaram o projeto de lei e constataram que o custo do governo com pagamento de salários com os atuais 1.800 cargos é de R$ 1,6 milhão mensal. Os novos cargos criados custarão mensalmente R$ 2,3 milhões, um aumento de R$ 755,5 milhões por mês.

A Secretaria da Fazenda do Estado, comandada por Manoel Vitório, ainda não se pronunciou sobre o estudo.