Fotos de Thiago Pacheco  


Uma noite marcada pela celebração da ancestralidade e pela exaltação e respeito às origens e à cultura afro-brasileira, quando a expressividade do corpo, através do abraço entre movimento e ritmo, alcança sua plenitude diante de uma plateia que, a todo tempo, retribuía com calorosas palmas às performances executadas sobre o palco do Teatro Cidade do Saber (TCS). Assim pode ser descrito o espetáculo “Herança Sagrada – A Côrte de Oxalá”, apresentado pelo renomado Balé Folclórico da Bahia, com a participação emocionante de 30 talentosas crianças e jovens da Cordoaria, comunidade quilombola de Camaçari.


Antes mesmo que a plateia e os artistas assumissem seus lugares dentro do TCS, uma mostra da musicalidade e alegria baianas já elevou o astral dos presentes, no foyer, onde ocorreu uma animada apresentação do Bloco Afro Ilê Ayiê. A presença, na plateia, da atriz global Glória Pires e dos cantores baianos Margareth Menezes e Denny Denan conferiram um brilho ainda mais especial à noite.

A apresentação de abertura, já no palco, foi protagonizada pelo grupo do quilombo camaçariense, em uma performance que deu espaço e voz ao povo da Cordoaria. Todo elenco ostentava o orgulho da comunidade a qual pertence, orgulho este que transcendeu o palco e contagiou os espectadores. Essa abertura foi resultado de oficinas de dança afro e percussão, oferecidas gratuitamente pelo Balé Folclórico da Bahia desde o início de novembro. Em seguida, o elenco recebeu certificados das mãos de representantes do governo municipal e de personalidades apoiadoras da cultura em Camaçari, na Bahia e no Brasil.


Quando o Balé Folclórico da Bahia iniciou o espetáculo, com seu elenco espalhado entre a plateia, ficou evidente, logo nos primeiros momentos, que mesmo as expectativas mais elevadas estavam prestes a ser superadas, até mesmo para quem já tinha assistido ao espetáculo, como é o caso da atriz Glória Pires. “Eu já conhecia, mas essa noite foi ainda mais especial, também pelo trabalho social desenvolvido com a comunidade da Cordoaria. Foi muito comovente”, pontuou a atriz. A cantora Margareth Menezes também destacou o trabalho social em sua fala. “Ver os jovens da comunidade quilombola receberem o certificado, sentir essa energia da plateia, esse entusiasmo, e ainda prestigiar esse lindo espetáculo do Balé Folclórico da Bahia tornaram essa noite muito especial”, afirmou.

O cantor Denny Denan, camaçariense, lembrou dos primeiros passos da sua formação artística. “A minha história começou de forma semelhante. Com oito anos de idade, eu frequentava a Casa da Criança, onde aprendi muito. Por isso, fico emocionado ao ver essa garotada no palco”, contou o artista.