Foto: Divulgação/PC


A Polícia Civil da 36° Delegacia Territorial de Mata de São João, através do Serviço de Investigação encontrou, na tarde desta segunda-feira (12), ossadas de dois homens nas localidades de Amado Bahia e Caboré. A ação policial se deu após a prisão de Moisés Reis dos Santos, conhecido como "Galego", um dos responsáveis pelos homicídios.

Foto: Divulgação/Polícia Civil
A polícia acredita que os restos mortais são de Paulo Alves dos Santos, conhecido como ‘Paulinho’, assassinado no dia 19 de julho de 2017, no Caboré e de Bruno Michel Alves dos Santos assassinado no dia 11 de maio de 2017, no distrito de Amado Bahia. Conforme a polícia, na delegacia, Moisés confessou o crime e informou onde os corpos foram enterrados.

Moisés, que acusado de mais três homicídios, ainda detalhou a polícia que tatuou em seu corpo um cemitério, em que cada túmulo corresponde a uma morte. A polícia Civil segue investigando para descobrir onde foram enterrados os corpos das outras vítimas.


Ossadas
Depois de localizada a ossada, os investigadores encontraram no local itens particulares como sandália de pneus, resto das vestes e prótese dentária.

As ossadas foram encaminhadas ao Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML). Exames devem confirmar se, de fato, as ossadas pertencem as pessoas citadas.

Crimes
Conforme a ocorrência registrada na 36ª DT/Mata de São João - No dia 19 de julho de 2017, Paulo Alves dos Santos, 41 anos, teria recebido uma ligação, e em seguida, saído de casa em direção ao condomínio Alto do Paraíso levar dinheiro arrecadado com a venda de drogas para um traficante local chamado “Binho”.

Chegando ao local, Moisés e outro acusado de participação no assassinado identificado como Marcos Santana dos Santos renderam Paulo. Segundo relatos, Moisés teria cortado o pescoço e as pernas da vítima com um facão, jogando o corpo em uma cova rasa.

Segundo informações, Binho teria ordenado a morte de Paulo, pois o mesmo estaria comercializando drogas para outro traficante, conhecido como ‘Eidson’ da localidade do Sempre Verde.

No dia 11 de maio de 2017, Bruno Michel, 19 anos, teria saído em companhia dos autores, Moises e outro de prenome 'Igor', para usar drogas num morro atrás do Condomínio Santa Rita II. No local, os acusados teriam cobrado a vítima por ter roubado drogas, em seguida Igor teria dado um golpe com um pau na região da cabeça da vítima e Moisés teria cortado o pescoço da vítima com um facão. O corpo foi jogado numa cova rasa.

O crime foi motivado por vingança, pois a vítima estaria roubando drogas dos autores, que estavam guardadas próximo ao local do crime. 

Com informações do Mais Região