Sem renda suficiente para pagar parte da indenização a uma camareira que o acusou de agressão em 2008, o ator Dado Dolabella, 38, está prestes a ter os seus bens penhorados pela justiça do Rio de Janeiro, que já determinou a ação. O valor a ser pago para Esmeralda de Souza Honório havia sido fixado em 2013, mas o artista nunca saudou a dívida de R$ 40 mil. Na época, bens em nome de Dolabella não tinham sido encontrados, o que inviabilizou a penhora.

Ainda sem bens no nome do artista, desta vez, a defesa da camareira solicitou, por meio do desembargador Fernando Cerqueira Chagas, determina a penhora de bens recebidos por ele através de uma ação trabalhista movida pelo ator, que tramita na 51ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro. "Invoca os princípios da efetividade e razoável duração do processo, visto que o ora Agravado (Dado) aparentemente não possui outros bens penhoráveis capazes de satisfazer a obrigação", diz o desembargador em um trecho da decisão emitida no dia 10 de outubro.

A agressão à camareira aconteceu em outubro de 2008, no Rio de Janeiro, durante uma briga de Dado Dolabella e a então namorada, Luana Piovani, na boate 00. No momento da discussão, a atriz caiu no chão e a camareira Esmeralda Honório tentou apartar o casal, mas acabou sendo empurrada por Dado. Na queda, ela machucou os punhos e teve que imobilizar os dois braços.