Pais lutam por justiça após morte de menino de 10 anos que caiu do transporte escolar em Simões Filho (Foto: Reprodução/TV Bahia)

A Justiça decidiu arquivar o processo sobre o caso do garoto de 10 anos que morreu após ser atropelado por um ônibus escolar na cidade de Simões Filho. A decisão foi tomada, no dia 23 de agosto, após pedido do Ministério Público do Estado (MP), que alegou falta de elementos para acusação.

O caso cabe recurso e os pais de Miguel Pereira Santos pretendem recorrer da decisão. Eles têm cinco dias após a data da publicação para se manifestar.

"O processo ia ser arquivado e a gente não tinha consciência disso. Todos os trâmites foram feitos, ninguém falou nada para gente. Estamos batalhando para que isso não ocorra porque eu quero justiça. Uma criança amada, feliz, super inteligente e com um futuro brilhante, que perdeu a vida e não vai ter um responsável", desabafou Ruana Fidelis, mãe de Miguel.

Miguel, que era filho único, morreu no dia 30 de outubro quando tentava subir no ônibus do transporte escolar oferecido pela Prefeitura de Simões Filho. Ele voltava para casa depois da aula. O garoto teria se desequilibrado e caiu, em seguida, foi atropelado pelo mesmo ônibus.

O inquérito do caso foi concluído pela Polícia Civil em 13 de agosto deste ano, quase 10 meses após a morte da criança. "Como é que dizem que não existe fatos comprobatórios suficientes para apontar o culpado? Estamos aqui clamando por Justiça", disse Miguel Fidelis, pai de Miguel.