Diogo Lemos Dias dos Santos foi preso em flagrante nesta terça-feira (28/8) suspeito de fornecer gás medicinal adulterado para unidades de saúde em Teixeira de Freitas, Alcobaça, Caravelas, Ibirapuã e Vereda.

Segundo as investigações, a empresa teria fornecido às unidades de saúde, como o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas e a Unidade Municipal Materno Infantil, cilindros de oxigênio industrial como se fossem de oxigênio medicinal.

Para realizar a fraude, a empresa teria comercializado cilindros com lacres distintos dos selos identificadores e pintado de verde cilindros originalmente pretos. Conforme o promotor, normas do Inmetro estabelecem, para diferenciar os produtos, que o oxigênio medicinal deve ser acondicionado em cilindro verde, enquanto o oxigênio industrial em cilindro preto.

Em depoimento, Diogo Lemos se declarou responsável pelos serviços contábeis e pela emissão de notas fiscais da empresa, cujo proprietário é seu pai, Izaias Rodrigues da Silva. Ele afirmou também que o pai estaria em viagem fora do país.

Com informações do Aratu Online