Pesquisa publicada no "Journal of American Heart Association" nesta sexta-feira (10) mostra que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas em um curto período de tempo está associado ao desenvolvimento de pressão alta, colesterol alto e maior quantidade de açúcar no sangue em pessoas mais jovens.

Esses fatores aumentam o risco de problemas cardiovasculares como o infarto e o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O estudo também se soma a outras evidências que mostraram, por exemplo, que o desenvolvimento de hipertensão antes dos 45 anos está associado a riscos significativamente maiores de morte cardiovascular mais tarde na vida.


O estudo analisou dados de 4.710 adultos com idades entre 18 e 45 anos. Os participantes foram classificados como não-bebedores, bebedores compulsivos (muito consumo de bebida 12 vezes por ano) e bebedores compulsivos de alta frequência (mais de 12 vezes por ano).

O consumo excessivo de álcool de alta frequência foi relatado por 25,1% dos homens e 11,8% das mulheres. Já o consumo de 12 vezes por ano, foi relatado 29% dos homens e 25,1% das mulheres.

Diferenças entre os gêneros
O estudo também encontrou diferenças em como o consumo excessivo de álcool afeta homens e mulheres jovens.

Os homens apresentaram maior pressão arterial e colesterol total. Já elas, tinham níveis mais altos de açúcar no sangue quando comparadas às que beberam com moderação.

Os pesquisadores relatam que um em cada cinco jovens universitários relata consumo excessivo - com três ou mais episódios de bebedeira nas duas semanas anteriores. Em cada episódio, eles consomem de seis a sete drinques.

Segundo o estudo, em comparação a gerações anteriores, a regularidade e a intensidade do consumo de álcool podem colocar jovens em maiores riscos de danos relacionados ao álcool.