sexta-feira, 1 de junho de 2018

Temer diz ter sido 'iluminado' e dá 'graças a Deus' pelo encerramento da greve dos caminhoneiros


Em cerimônia religiosa nesta quinta-feira (31) em Brasília, o presidente Michel Temer deu "graças a Deus" pelo encerramento da greve dos caminhoneiros e se disse "iluminado" após a resolução da crise.

O presidente participou de cerimônia em uma catedral da Assembleia de Deus em Brasília. O evento é a Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil.

"Graças a Deus, estamos encerrando a greve dos caminhoneiros por meio de uma atitude minha que tem sido criticada, o diálogo", afirmou o presidente.
"Não uso a força, a autoridade. Uso o diálogo, a palavra, eu e o governo todo, conectados com os estados e municípios", disse Temer, que estava acompanhado do novo ministro da Secretaria Geral da Presidência, Ronaldo Fonseca, e do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles.

Ele seguiu explicando que durante os 11 dias de paralisação dos caminhoneiros não houve violência por parte do Estado.

"Não houve uma só violência pelo Estado brasileiro. A única morte ocorreu por uma atividade política, um caminhoneiro foi atingido por um tijolo", afirmou Temer.

Temer disse ainda que nesta quinta foi "iluminado" por Deus ao poder comemorar a redução das manifestações de grevistas.

"Que isso sirva de exemplo para o nosso país, a força do diálogo. Depois de dialogar, chamei as Forças Armadas. Fui iluminado por Deus, que disse vai lá no templo da Assembleia comemorar a pacificação do país. Quero pedir que todos vocês crendo como creio na força do diálogo e da palavra, que possam levar isso a todos os templos, se puderem levar uma palavra de paz, de harmonia, respeito mútuo, culto da família e da unidade", relatou o presidente.