Itacimirim e Guarajuba concorrem ao selo internacional Bandeira Azul



Itacimirim e Guarajuba, duas das praias mais procuradas e famosas da Costa de Camaçari e do litoral brasileiro, estão em fase de adequação para concorrer ao selo internacional Bandeira Azul na temporada 2018/2019. A certificação é concedida e emitida anualmente pela Foundation for Environmental Education (FEE - Fundação para Educação Ambiental), Organização Não Governamental (ONG), com sede na Inglaterra.

O Programa Bandeira Azul tem como objetivo elevar o grau de conscientização dos cidadãos e dos tomadores de decisão para a necessidade de se proteger o ambiente marinho e costeiro e incentivar a realização de ações que conduzam à resolução dos conflitos existentes.

Ambas as praias já foram analisadas pela Coordenadoria Nacional do Programa, que, na oportunidade, elaborou dois relatórios informando que existe a possibilidade e o potencial para as referidas se tornarem Bandeira Azul. O processo de inclusão das duas praias do município ao programa significa que Camaçari pode passar a ser a segunda cidade do Norte-Nordeste a ter a certificação. Uma vez que, até o momento, a única praia a ter o selo internacional é Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, localizada na Baía de Todos os Santos, na Ilha dos Frades, em Salvador. Praias como Stella Maris, Ipitanga e do Flamengo já tentaram o selo.

Atualmente, as praias do município estão na fase piloto – que é a etapa inicial do programa, na qual a praia, marina ou operador de embarcação de turismo tem prazo de até dois anos para cumprir os critérios e, então, solicitar a certificação. Os participantes desta fase não podem hastear a bandeira azul, porém são autorizados a instalar uma placa explicativa do programa, além de divulgar em todas as mídias seu ingresso na fase piloto.

Considerada a certificação mais importante da categoria em todo o mundo, o selo é atribuído a orlas marítimas, fluviais e lacustres ambientalmente sustentáveis que cumprem um conjunto de 34 requisitos de qualidade socioambiental e é dividido em quatro grupos: educação e informação ambiental, qualidade da água, gestão ambiental e segurança e serviços.

Nesse sentido, a Prefeitura de Camaçari, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (Sedec), tem desenvolvido ações para a efetivação do programa no município, realizando visitas técnicas e reuniões com o trade turístico em busca de parceiros que possam contribuir com o projeto.

De acordo com informações da Coordenação de Desenvolvimento Turístico da Sedec, atualmente, na soma dos 34 critérios exigidos, Camaçari já realizou 10 deles e ainda restam dois anos para concluir os demais. Para o decorrer deste ano estão previstas ações, como analise de balneabilidade, elaboração dos planos emergencial e de gestão de resíduos, estudo do ecossistema costeiro, além da captação de recursos.

Dentre os requisitos de qualidade socioambientais já realizados pelo município, destacam-se itens, como a analise técnica das localidades, o processo de analise da água e a confecção dos códigos de conduta das praias, assim como, o layout das placas a serem instaladas. A formação do comitê gestor e a elaboração do plano de segurança estão em processo de confecção, mas por serem mais complexos demandarão outros estudos complementares.

As vantagens e os benefícios para as praias que conquistam o selo Bandeira Azul são muitos, entre eles a valorização ambiental, social, econômica e imobiliária, o aumento do fluxo de visitas e na qualidade de vida dos moradores, além de tornar-se um destino turístico reconhecido internacionalmente e exemplo de destino sustentável.

PROGRAMA

O programa teve início em 1987 na Europa (no Brasil a partir de 2004) e é aberto a praias marítimas, fluviais e lacustres, além de marinas, sendo necessário a participação dos municípios e envolvimento de instituições locais que representam os vários segmentos da Sociedade Civil (moradores, iniciativa privada, empreendedores, comunidades tradicionais e grupos atuantes, ONGs e demais associações) e que podem colaborar na implantação e efetivação do programa. A certificação Bandeira Azul será sempre outorgada à municipalidade onde se localiza a praia, para que cumpra todos os critérios.

A iniciativa baseia-se em princípios de sistema de gestão ambiental, ou seja, ao cumprir uma série de critérios a praia ou marina que participa do programa solicita a certificação internacional: a Bandeira Azul. Obter a bandeira é uma grande responsabilidade que deve ser traduzida em mudança de comportamento e gestão responsável; hastear a bandeira é somente o início deste processo de mudança.

No Brasil, o Programa Bandeira Azul é operado pelo Instituto Ambientes em Rede, com sede em Florianópolis (Santa Catarina).

Ascom/PMC