Eduardo Cunha reclama do transporte para audiências, e Moro diz que veículo está 'longe de causar sofrimento'

março 26, 2018

(Foto: Reprodução/TV Globo)
O ex-deputado Eduardo Cunha reclamou por duas vezes do transporte utilizado para levá-lo às audiências da Operação Lava Jato. O juiz federal Sérgio Moro informou que fez uma inspeção e que o veículo “está longe de causar sofrimento”. Fotos do veículo foram anexadas ao processo.

De acordo com o magistrado, o réu é transportado sozinho na parte de trás do veículo, em bancos acolchoados e com cinto de segurança, nos dias em que precisa ser levado do Complexo Médico-Penal, na Região Metropolitana de Curitiba, onde está preso, para a sede da Justiça Federal na capital.

“De fato, o transporte no local não é totalmente confortável, mas está longe de causar sofrimento ou de ser indigno ao transportado. Entendo que, com todo o respeito ao ex-Deputado, as condições, embora não sejam ideais, são adequadas, considerando as limitações de recursos das forças de segurança”, argumenta Moro.

Ainda segundo o juiz, não há como exigir que o transporte seja feito sempre em uma van, ou como permitir que o ex-deputado seja transportado sentado no meio de agentes armados, o que viola os protocolos de segurança.

“Então é o que se dispõem para a escolta, sendo de se observar que o acusado já foi condenado criminalmente por outro processo, em duas instâncias”, finaliza, em despacho publicado na última quarta-feira (21).

Em despacho anterior, de 9 de março, Moro já havia se posicionado sobre a reclamação.
(Foto: JFPR/Reprodução)
“Não me parece que o transporte na traseira, nas condições apontadas, traga maiores desconfortos ao preso e, por outro lado, o preso, mesmo não tendo histórico de violência, não pode ser transportado ao lado de agentes armados sob pena de incorrer em situações de risco desnecessárias”, afirmou o juiz.




Informações do G1



Outras Notícias
© Improta e Andrade Comunicação LTDA
Camaçari em Foco Notícias