Torcida ri de voo da Chape e Nacional pode ser expulso de torneio

fevereiro 02, 2018



O jogo entre Chapecoense e Nacional, na quarta-feira (31), pela Libertadores, foi manchado pela atitude de alguns torcedores do time uruguaio que compareceram à Arena Condá, em Chapecó (SC). Durante o confronto, eles fizeram piadas e gestos com a mão, ironizando a tragédia que matou 71 pessoas, em novembro de 2016. A atitude, inclusive, pode custar caro e desclassificar o time da competição.

Ciente do fato, a Conmebol determinou que o Nacional tem até a quinta-feira (8) para apresentar uma defesa e argumentar a atitude dos torcedores. O time pode ser expulso da Libertadores graças ao artigo 14 do Regulamento Disciplinar da entidade que rege o futebol sul-americano, que aborda discriminação e comportamentos similares, em conjunto com o artigo 8, que fala em responsabilidade das equipes "pelo comportamento de seus jogadores, oficiais, membros, público assistente e torcida". As punições variam de multas em dinheiro, que iniciam em 3 mil dólares, perda de mando de campo ou exclusão da competição atual ou de futuras.

Caso não apresente uma defesa até o dia 8, um dia após o jogo de volta contra a Chapecoense, pela fase preliminar da Libertadores, o clube sofrerá punição determinada pela Conmebol.

Chapecoense e Nacional se enfrentam quarta-feira (7), às 20h45, no Parque Central, em Montevidéu. No jogo de ida, os uruguaios venceram por 1x0.

Pedido de desculpa
Constrangida com a atitude de seus torcedores, a diretoria do Nacional, do Uruguai, criticou os que brincaram com a tragédia que matou quase todo o time da Chapecoense em 2016, quando a equipe disputava a final da Copa Sul-Americana.

Em comunicado, a equipe se desculpou pelo ato dos seus fãs, classificado como "horrendo". O clube disse ainda que sentiu "uma profunda vergonha" quando tomou conhecimento do fato e prometeu apoiar as investigações da Conmebol para punir os culpados.

"Infelizmente, várias mentes doentes canalizaram sua irracionalidade no cenário do esporte. O Nacional fez o esforço, como outros clubes do continente, de evitar episódios do tipo. Em nome do clube, nós expressamos ao presidente (da Chapecoense) nossa mais profunda empatia e profunda vergonha", afirmou a equipe uruguaia em comunicado.

Correio
Outras Notícias
© Improta e Andrade Comunicação LTDA
Camaçari em Foco Notícias