Polo de Camaçari: estudo vai analisar competitividade da cadeia petroquímica

fevereiro 19, 2018



O Distrito Industrial de Camaçari será alvo de um amplo estudo para identificar os principais desafios estruturais e tecnológicos da cadeia química-petroquímica e apontar possíveis caminhos para assegurar o seu desenvolvimento e sustentabilidade. O estudo, firmado às vésperas do distrito completar 40 anos, foi firmado no dia 7 de fevereiro pelo Senai Cimatec e  o Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), representados, respectivamente, pelo presidente da Federação das Indústrias da Bahia (Fieb) e diretor-geral do Senai Bahia, Ricardo Alban, e pelo superintendente Mauro Pereira.


O estudo sobre a competitividade do Polo será conduzido pelo Senai Cimatec e está sendo patrocinado por 15 empresas vinculadas ao Cofic. A proposta, de acordo com a Fieb, é que no final do primeiro semestre, seja entregue uma agenda destinada aos candidatos ao governo do estado, apresentando as principais conclusões do estudo, que vai envolver também acadêmicos e especialistas na cadeia petroquímica.

O documento que formaliza o convênio também foi assinado pelo presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Químicos para Fins Industriais, Petroquímicas e de Resinas Sintéticas de Camaçari (Sinpec), Roberto Fiamenghi, e por representantes de empresas.

“O Cofic reconhece que somos um parceiro neste processo e espero que esta iniciativa tenha um efeito multiplicador para que a gente possa trabalhar juntos e fazer com que os resultados sejam abrangentes. O futuro do Polo depende de nós sermos mais proativos e termos a capacidade de convencer os demais atores do processo da importância e do efeito que o planejamento industrial representa para o desenvolvimento do estado”, destacou Alban. 


Outras Notícias
© Improta e Andrade Comunicação LTDA
Camaçari em Foco Notícias