Gestão Sustentável é debatida na Câmara Municipal de Camaçari

novembro 22, 2017



A Câmara Municipal realizou, na manhã desta quarta-feira (22), uma Audiência Pública para debater a Gestão Sustentável em Camaçari. “Este tema deve ser mais discutido com toda a sociedade, para que tenhamos uma cidade planejada e integrada com o meio ambiente”, disse o proponente da audiência, vereador Dilson Magalhães Jr. (PEN).

A audiência contou com as palestras de Uelber Acácio, diretor de gestão das áreas verdes da prefeitura de Salvador; Eduardo Fontoura, gerente de gerenciamento ambiental da Cetrel; Gerônimo Bispo dos Santos, presidente da Cooperativa de Materiais Recicláveis de Camaçari; do engenheiro ambiental César Aparecido; de Roberto Florentino, auditor ambiental e presidente do Instituto Educacional do Meio Ambiente do Brasil; de Janete Ferreira, presidente da Limpec; e de Juliana Paes, secretária de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente de Camaçari (Sedur).


Ao findar as apresentações dos palestrantes, a palavra foi franqueada à plateia que direcionou perguntas às autoridades presentes. Ana Paula, do Movimento Nacional de Catadores, perguntou à secretária Juliana Paes sobre a coleta seletiva no município. A gestora da pasta disse que, atualmente, a Secretaria está avaliando a minuta do Projeto de Lei de Resíduos Sólidos para buscar a melhor forma para fazer a coleta. Ela solicitou, ainda, que fosse implantado na Sedur, imediatamente, um plano de coleta seletiva.

Um morador da orla de Camaçari, Genivaldo Tavares, indagou se existe algum projeto para impedir a degradação ambiental na orla. Juliana ressaltou que este delito provém das invasões ilegais de terras e que é preciso se fazer cumprir a lei. “É necessário que a população atue denunciando esses casos ao Ministério Público, à Polícia Federal, ao IBAMA, entre outros órgãos que atuam na defesa do meio ambiente”, orientou.

Outro tema também colocado em pauta durante a audiência foi a termoelétrica. “Uma empresa deste setor vem despejando resíduos em nossas casas, prejudicando a saúde da população com a poluição do ar e sonora”, denunciou José Paulo, morador do bairro da Gleba B. A representante da Sedur informou que a Secretaria já notificou as duas empresas termoelétricas por conta do incômodo à população, e que precisa de medidas emergenciais para que o povo não seja prejudicado, nem a atividade seja paralisada.

Para finalizar, o vereador Dilson Magalhães Jr. solicitou ao presidente da Câmara, vereador Oziel (PSDB), que fosse implantado na Casa Legislativa um trabalho de educação ambiental e um projeto piloto de gestão sustentável para a Casa.

Ascom/CMC





Outras Notícias
© Improta e Andrade Comunicação LTDA
Camaçari em Foco Notícias